Arquivo da categoria: ECONOMIA

Lotéricas deixarão de receber contas da Enel Goiás | RP

A Enel Distribuição Goiás, antiga Celg, anunciou ontem que a partir do dia 5 de agosto as faturas de energia da companhia não poderão mais ser pagas nas casas lotéricas, nos correspondentes Caixa Aqui e nas agências bancárias da Caixa Econômica Federal. Isso porque o contrato de arrecadação foi encerrado com a instituição bancária.

Segundo a distribuidora, isso ocorreu devido ao reajuste de cerca de 30% proposto pelo banco na tarifa cobrada para receber as faturas nesses locais de atendimento. A diretora de Mercado da Enel Brasil, Marcia Roque Vieira, afirma que o valor proposto pela Caixa chega a ser 51% acima do atualmente contratado pela Enel em canais semelhantes de outros bancos.

É um tema do mercado e não só da Enel. Temos tentado desde o ano passado uma negociação e, infelizmente, chegamos a 5 de agosto fechando o contrato”, pontua ela. A medida também passará a valer no mês que vem para a distribuidora da Enel no Ceará. Já para setembro está previsto o mesmo cancelamento das opções de pagamento para os consumidores de energia das distribuidoras da multinacional tanto no Rio de Janeiro como em São Paulo.

Uma das justificativas da empresa para reforçar a decisão é de que se o contrato fosse renovado poderia refletir na conta de energia, o que atingiria também os consumidores. De acordo com a distribuidora, as taxas de arrecadação entrariam no cálculo da tarifa de energia na revisão tarifária que ocorrerá daqui a quatro anos. “É cultural, os clientes vão à agência. Mas oneraria”, explica Marcia sobre o repasse dos custos e a mudança de hábito que os goianos vão sentir.

Como alternativa, a Enel diz que a orientação é para que os clientes de bancos conveniados (Banco do Brasil, Santander, Bradesco, Itaú, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Banco de Brasília, Intermedium, Safra, Mercantil, Bancoob e Sicredi) cadastrem suas contas em débito automático, o que é possível ser feito pelos canais de atendimento dos próprios bancos. Atualmente, a distribuidora informou que já teria 220 mil clientes cadastrados que pagam a fatura por meio do débito automático.

Outra opção indicada é pagar a fatura por meio do serviço de internet banking e nos caixas eletrônicos dos bancos conveniados, desde que seja correntista. A Caixa Econômica também continua recebendo pagamento das contas de luz de correntistas do banco nos canais eletrônicos. Permanecerá ativo também o serviço de pagamento online que dispensa a apresentação da fatura de energia para realização do pagamento, o que permanecerá disponível nas Lotéricas e Correspondentes da Caixa com a cobrança de R$ 2,80 na próxima fatura.

A Enel disponibilizará 1,7 mil agentes arrecadadores para pagamento das faturas de energia elétrica, como supermercados, farmácias ou grandes comércios. Aumentou esse número após a decisão. “Fechamos contrato com outro agente. O consumidor pode entrar no site e procurar os pontos de arrecadação pelo bairro.” Se houver sobrecarga, Marcia diz que poderão prospectar mais opções nas regiões com maior demanda.

Por nota, a Caixa esclareceu que tem interesse em “manter o recebimento de todas as contas de arrecadação no canal lotérico, desde que os valores pagos a título de tarifas sejam compatíveis com os custos absorvidos”. O banco diz que negocia com empresas que geram boletos para continuar a arrecadação.

Fomte: O Popular

REDE PLAN aconteceu, virou notícia.


IPTU acumulado? Ficou mais fácil com o ‘Recupera Plan’ | RP

Dívidas com o município? Livre-se delas! O programa Recupera Plan foi prorrogado até o dia 31 de Janeiro de 2018! O feirão acontece no antigo Fórum da cidade.

IPTU é coisa séria, é através dela que sai as melhorias para o seu bairro, mas mesmo sabendo disso, muita gente deixa de pagar por um ano, e quando chega a outra fatura, acaba acumulando e não consegue pagar, oque pode trazer problemas com a regularização do seu imóvel.

Oque é o Recupera Plan?

O município de Planaltina, atuando nos seus três poderes: Poder Executivo, Poder Legislativo e Poder Judiciário, na união dos três poderes, criou uma Lei do programa chamado ‘Recupera Plan 2017’, que visa a regularização fiscal dos imóveis de Planaltina, mas além de recuperar a visão fiscal do imóvel de cada contribuinte, ele possibilita dentro de uma realidade, que o contribuinte consiga desconto em todas as formas de parcela dele, de pagamento à vista, de duas vezes de parcelamento ou até 36 parcelas, ele visa inclusive de que a mesma oportunidade de um contribuinte aderir a um tipo de parcelamento anterior como esse tipo de parcelamento, que é um parcelamento atual. Ele pode cancelar a forma antiga de parcelamento e entrar no novo, tendo em vista que este se enquadra numa realidade econômica muito mais viável para cada contribuinte de Planaltina Goiás.

VO programa também trás a possibilidade de abatimento, ex: caso o contribuinte entre em processo contra o município porque ele entende que o município deve ele, esse valor pode ser descontado e o cidadão ficar em dia. Processos judiciais e administrativas poderão ser pagas em parcelamento único. Ele visa não só arrecadar, mas também fazer girar a receita do município.

Recupera Plan: ficou mais fácil ficar em dia com a cidade | RP

Dívidas com o município? Livre-se delas!

O município de Planaltina, atuando nos seus três poderes: Poder Executivo, Poder Legislativo e Poder Judiciário, na união dos três poderes, criou uma Lei do programa chamado ‘Recupera Plan 2017’, que visa a regularização fiscal dos imóveis de Planaltina, mas além de recuperar a visão fiscal do imóvel de cada contribuinte, ele possibilita dentro de uma realidade, que o contribuinte consiga desconto em todas as formas de parcela dele, de pagamento à vista, de duas vezes de parcelamento ou até 36 parcelas, ele visa inclusive de que a mesma oportunidade de um contribuinte aderir a um tipo de parcelamento anterior como esse tipo de parcelamento, que é um parcelamento atual. Ele pode cancelar a forma antiga de parcelamento e entrar no novo, tendo em vista que este se enquadra numa realidade econômica muito mais viável para cada contribuinte de Planaltina Goiás. O programa também visa a criação de receita dentro do próprio município, e para que este programa possa realmente ter um alcance, ele precisa ter a parte de divulgação, a parte de intimação dos processos judiciais que tramitam. Hoje existe uma dificuldade de mão de obra porque não há como fazer as intimações no município, então ele visa a contratação dos moto taxistas para atuarem entregando as intimações do poder judiciário, os processos.

O município vai contratar tudo obviamente dentro de dispensa de licitação, não podendo ultrapassar o valor de 8 mil reais por empresa. Ele visa contratar uma empresa de publicidade de redes sociais, ele visa a contratação de uma empresa para fazer panfletagens. Todas as empresas que forem contratadas, deverão ser do município, a prioridade deverá ser empresas locais. Por serem serviços temporários e pequenos, todas elas serão por dispensa de licitação, não podendo ultrapassar o valor de 8 mil reais. A empresa a ser contratada que oferecer o menor valor financeiro, será a escolhida, e que também esteja com os documentos todos em dia para que possa de habilitar com o processo.

O programa também trás a possibilidade de abatimento, ex: caso o contribuinte entre em processo contra o município porque ele entende que o município deve ele, esse valor pode ser descontado e o cidadão ficar em dia. Esse mutirão vai acontecer de 06 à 10 DE NOVEMBRO, dentro do fórum de Planaltina, onde virão equipe de juízes, para que possa ser feito o máximo de acordos possíveis. Processos judiciais e administrativas poderão ser pagas em parcelamento único. Ele visa não só arrecadar, mas também fazer girar a receita do município.

Começa neste domingo (15) o horário brasileiro de verão | RP

Seu dia amanhã terá uma hora a menos, isso porque a partir de 0h do domingo (15) começa o horário de verão nos Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. A edição 2017/2018 do horário vai durar até a meia-noite do dia 17 de fevereiro de 2018.

·
Propaganda
·

A lógica do horário de verão é que quanto mais distante uma região está da linha do Equador, mais longos são os dias de verão e, com isso, as pessoas e empresas podem aproveitar mais a luz do dia sem ter que recorrer à energia elétrica. É por causa disso que a alteração não vigora nos Estados do Norte e Nordeste.

Mas ainda não se sabe se a mudança continuará acontecendo nos próximos anos. É que a medida já não tem mais tanta eficácia na economia de energia no Brasil. No ano passado, a mudança gerou uma economia de R$ 159,5 milhões, por causa da redução do uso das usinas termelétricas durante o período de vigência, menor do que em 2015, quando a economia foi de R$ 162 milhões.

O governo do presidente Michel Temer cogitou não mais manter o horário de verão este ano, porque a economia alcançada nos 126 dias em que durou o horário em 2016 foi considerada irrelevante para o setor elétrico, e tem sido assim nos últimos anos. Se isso tivesse acontecido, seria a primeira vez desde 1985 que o Brasil não teria que adiantar os relógios em uma hora. Mas acabou voltando atrás, pelo menos neste ano.

Estudos realizados pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) mostraram que o consumo de eletricidade pela população atualmente está sendo mais influenciado pela temperatura do período do que pela luz do dia.

Uma das principais razões para essa mudança é a popularização dos aparelhos de ar-condicionado. Como o calor é mais intenso no fim da manhã e início da tarde, os picos de consumo são registrados atualmente nesse período. Segundo a ONS, o horário de ponta ocorre entre 14h e 15h, e não mais entre 17h e 20h.

O estudo da ONS mostra que a economia de energia entre 17h e 20h ainda ocorre, mas é menor do que o aumento do consumo verificado durante as madrugadas por causa do ar condicionado.

Mesmo assim, o Ministério das Minas e Energia decidiu manter o novo horário este ano. Mas não é certeza se 2018 terá um horário de verão. Quando a pesquisa da ONS foi divulgada, o diretor-geral do órgão, Luiz Eduardo Barata, afirmou que se o horário de verão não fosse mais adotado não haveria impacto no setor elétrico, mas disse ser inegável os ganhos que a alteração traz para o turismo e para a rotina da população.

FONTE: Uol

Prefeitura de Planaltina Goiás adere ao programa ‘Em direção ao futuro’ | RP

O prefeito de Planaltina Goiás, Dr° Davi, assinou a manifestação de interesse em estabelecer o Consórcio do programa ‘Em direção ao futuro’, e enalteceu o trabalho do presidente da AMAB, Hildo do Candango, frente à instituição.  

“O nosso presidente tem mostrado um grande desprendimento e força de vontade para agregar os municípios em torno das demandas que se apresentam. Nós temos todo interesse de aderir ao Consórcio visando à melhoria do transporte na região”

, afirma David Alves.

Imagem: divulgação

   O programa Em direção ao futuro tem como finalidade a integração dos transportes de passageiros dos municípios do Entorno com os transportes do Distrito Federal, promovendo melhorias para a qualidade do serviço prestado à população.



“Estamos trabalhando para que no primeiro momento, dez municípios integrem o programa: Luziânia, Valparaíso de Goiás, Novo Gama, Cidade Ocidental, Santo Antônio do Descoberto, Cocalzinho de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Planaltina de Goiás, Padre Bernardo e Formosa. O próximo passo será a realização de uma audiência com o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, e com o secretário de Mobilidade Urbana do GDF para debater o tema”,  

disse Hildo do Candango. 

      
    Os municípios do Entorno enviam diariamente milhares de trabalhadores para o Distrito Federal e as reclamações sobre o sistema que não atende à demanda satisfatoriamente são constantes. Com a disposição da ANTT em transferir para o consórcio firmado entre os municípios e o Distrito Federal, a regulamentação propiciará a fiscalização e a integração dos sistemas, elevando a qualidade do serviço prestado.  

FONTE: Blog Hildo do candango

Governo analisa extinção do horário de verão com base na baixa efetividade | RP

Ministério de Minas e Energia analisa extinção do horário com base em ‘queda de efetividade’. De 2013 para 2016, economia gerada caiu de R$ 405 milhões para R$ 159 milhões. ‘Pouco é melhor que nada’, diz especialista.

·

Anúncio

·

  
   A economia gerada ao governo federal com a aplicação do horário de verão caiu nos últimos quatro anos – entre 2013 e 2016 – de R$ 405 milhões para R$ 159,5 milhões. No último ano, o horário ocorreu entre 16 de outubro de 2016 e 18 de fevereiro de 2017. Mesmo assim, especialistas defendem que “pouco é melhor que nada” e que a manutenção da medida também ajuda a evitar apagões.

  A ideia de extinguir o horário de verão no Brasil – em estudo há pelo menos seis meses no Ministério de Minas e Energia – deve ser analisada nas próximas semanas pelo presidente Michel Temer, com base em notas técnicas que apontam “perda de efetividade” na mudança de horário.
  Se nada for anunciado, o horário de verão deve entrar em vigor no dia 15 de outubro, em dez estados e no Distrito Federal, onde o relógio deve ser adiantado em uma hora até o dia 18 de fevereiro de 2018.

Enquanto passa por processo de CPI, Prefeito luta contra dificuldade financeira da cidade | RP

A Prefeitura Municipal de Planaltina de Goiás, é uma das cidades do Entorno do DF, com maior dificuldade financeira. De acordo com o secretário de Administração e Planejamento, Sr. Everaldo, “quase toda a receita do município está comprometida para pagar o funcionalismo público”.

·

PROPAGANDA

·

  
 

  O prefeito da cidade, Dr. Davi Lima, que está à frente do Executivo a pouco mais de 8 meses, já passa por um processo de CPI na Câmara dos Vereadores.
  

  Em entrevista à um jornal, Davi Lima confirmou que a situação financeira do município é extremamente grave, e mesmo assim, uma parcela de servidores públicos orientados pelo sindicato, pleiteiam aumento de salário. Segundo Davi, “embora eu ache justo a reivindicação dos servidores, no momento a prefeitura não tem como arcar com o reajuste, que segundo cálculos da equipe técnica, gira em torno de R$ 900 mil por mês a mais na folha de pagamento”, disse.

  De acordo com o prefeito de Planaltina de Goiás, assim que assumiu a prefeitura, diminuiu o número de comissionados em mais de 60%, cortando as gratificações, estabelecendo cotas de combustíveis, e diminuindo as despesas dos contratos. Segundo Davi, “uma série de ações foram realizadas no sentido de colocar as contas em ordem, e mesmo assim ainda não foram suficientes para equilibrá-las”, ressaltou.

  Segundo o Chefe do Executivo, a primeira providência ao assumir o mandato, foi solicitar uma auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios, que confirmou que a cidade está em colapso financeiro, sendo considerada a que está em pior situação do Estado de Goiás.

   
  Como se não bastasse tudo isso, a prefeitura está sem poder receber repasses federais, devido a inadimplência junto à Previdência Social, herança das gestões anteriores, que não honraram os compromissos, e com isso os projetos que poderiam ser viabilizados, ficam comprometidos.

  Primeira cirurgia por meio de videolaparoscopia realizada pelo SUS, no hospital municipal Santa Rita.

  Apesar de todas as dificuldades que o prefeito Dr. Davi está passando, a pasta da Saúde está conseguindo avanços significativos. Na semana passada, foi realizada a primeira cirurgia por meio de videolaparoscopia da região. De acordo com o médico Dr. Renato Teixeira, especialista em cirurgia bariátrica por meio de videolaparoscopia, “é um privilégio poder estar em uma cidade do interior, como Planaltina de Goiás, e realizar uma cirurgia totalmente gratuita através do SUS”, disse o cirurgião.

  
  O secretário de saúde Márcio da Mata, declarou ao site ‘Agenda Capital’, que as cirurgias regulares já começaram e que somente na última sexta-feira (18) foram realizadas 09 cirurgias no Hospital Municipal da cidade.

  O prefeito que também é médico, confirmou que o ministro da Saúde Ricardo Barros, está empenhado em reformar todo o Hospital Municipal Santa Rita de Cássia e inaugurar a UPA da cidade.

  
  Mesmo diante de todo o quadro caótico financeiro que se encontra a prefeitura, uma pequena parcela de vereadores da cidade, abriu uma CPI contra o prefeito da cidade.

Fonte: Agenda Capital

Subsídio para gás de cozinha será reduzido e preço deve subir de novo | RP

O preço do gás de cozinha vai subir. A Petrobras, dona de praticamente 100% do abastecimento do insumo no mercado nacional, prepara um reajuste que poderá ter impacto no preço final do botijão de gás, produto presente em 59,5 milhões de residências, ou 96% do total de famílias do País.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que a estatal trabalha nos cálculos finais para definir o aumento no preço do chamado gás liquefeito de petróleo (GLP), o popular gás de cozinha, vendido em botijões de 13 quilos.


O entendimento é de que, após vários anos de uma política de subsídio que manteve o preço do gás da estatal sem aumento, o mercado acabou fazendo seus reajustes por conta própria, impactando o consumidor final.


Subsídio


O histórico dos reajustes mostra que, entre 2003 e 2016, o preço final do gás cobrado pelas revendedoras acumulou reajuste médio de 89%, saltando de R$ 29,35 para R$ 55,60 o botijão. Neste mesmo período, o aumento realizado pela estatal foi de apenas 16,4%. Foram 12 anos sem nenhum reajuste no preço do gás vendido pela Petrobras.


Somente em 2015 é que viria o primeiro aumento pela estatal, de 15%. No mesmo ano, o aumento repassado pelas revendedoras ao consumidor chegou a 22,6%. No ano passado, a estatal fez um novo aumento, de 1,4%, ante 2,1% feito pelo mercado.


Questionada sobre o assunto, a Petrobras informou que não iria comentar. A avaliação de técnicos da empresa é de que é necessário recuperar ao menos uma parte do preço, em razão da defasagem acumulada nos últimos anos, não apenas com a inflação, mas do próprio valor praticado pelo mercado.


No fim de 2016, a Petrobras já tinha reajustado em 12,3% o GLP destinado aos usos industrial, comercial e granel às distribuidoras, mas não mexeu no preço para o consumidor doméstico. Na mesma época, a estatal aumentou o preço do diesel nas refinarias em 9,5%, em média, e da gasolina em 8,1%.


Lucros


Para cada botijão de gás vendido no País, cerca 24% do valor cobrado fica com a Petrobras. Distribuidoras e revendas retêm uma fatia média de 57%. Outros 15% são consumidos com ICMS e 4% com PIS e Cofins, segundo dados da estatal.


De acordo com dados da empresa Preço do Gás, que divulga valores do botijão praticados em todo o País, a variação atual de preços do gás de cozinha chega a mais de 78%, entre R$ 44,90 e R$ 80, na entrega ao cliente.


Os dados se baseiam em informações de mais de 400 revendedores cadastrados. O valor mais barato foi encontrado no Espírito Santo, enquanto o mais caro é cobrado em Mato Grosso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


IMAGEM: internet

FONTE: Correio Braziliense

SINDIPLAG comunica MP retirada de 733 mil reais dos cofres da PREVPLAN | RP

Na publicação feita em rede social, o informativo do SINDIPLAG diz; “O SINDIPLAG foi informado nesta tarde, sexta-feira (27/01), sobre uma suposta retirada de valores da PREVIDÊNCIA por parte do atual Prefeito Davi. Com base nessa denúncia anônima, a diretoria do SINDIPLAG requereu à administração do órgão informações sobre a situação. E para nossa surpresa a denúncia era procedente.

A administração do PREVPLAN nos informou que foi feita a devolução de mais de 733 mil reais para a prefeitura. Fato que nos causou estranheza, pois segundo palavras do próprio Prefeito, a dívida com o órgão é de mais de 100 milhões de reais.


Como diz o ditado “Gato escaldado tem medo de água fria”…quem não lembra do cheque de 732 mil retirado da PREVPLAN pelo ex-prefeito Zé Neto. Não estamos afirmando nada mas o fato é muito parecido.


Tendo em vista essa situação fomos ao gabinete do Prefeito para obter informações a respeito do fato, contudo, ficamos esperando mais de 2 horas e o prefeito sequer nos recebeu. Mediante tamanho descaso com o nosso sindicato, fomos ao Ministério Público informar o promotor Rafael Simonetti da situação. O promotor munido de documento, repassado pelo SINDIPLAG, irá solicitar esclarecimentos.


Vamos ficar de olho, queremos que esse dinheiro retorne imediatamente para os cofres da PREVIDÊNCIA, pois não há nenhum repasse e agora estão retirando, vai que a moda pega ou já pegou?”, publicou o SINDIPLAG.


IMAGEM/TEXTO: SINDIPLAG/Reprodução/Rede social