Arquivo da categoria: CLIMA

Temperatura média em Goiás fica até 2,1⁰ acima da média | RP

Assim como ocorreu na maior parte do planeta, as temperaturas em Goiás ficaram acima da média histórica em 2019. O professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) Diego Tarley Nascimento, doutor em Geografia, mostra que a maior elevação ocorreu em Jataí, Sudoeste Goiano, onde a temperatura média do ano passado foi de 24,5 graus célsius, enquanto a média histórica é de 22,4 graus célsius – mas a tendência de alta foi observada em todas as nove estações distribuídas no Estado.

Conforme o estudo a média da temperatura em 2019 também ficou acima da média apurada desde 1981 em Aragarças, Catalão, Formosa, Goiânia, Ipameri, Pirenópolis, Posse e Rio Verde – esses dois, com as menores variações. Em Goiânia, conforme o professor da UFG, a temperatura média anual foi de 25,4⁰C, enquanto a média histórica é de 24,1⁰C.

Diego Tarley explica que Goiás não foi uma exceção no País. “Houve, de fato, um aumento na temperatura no Brasil, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)”, diz. “Goiás, inclusive, se destaca, apresentando o predomínio de anomalias positivas (elevação) das temperaturas médias, variando entre 1°C e 1,5°C, mas podendo ultrapassar os 2ºC em algumas localidades no extremo Sul do Estado”.

Na visão do professor, contudo, essa elevação não chega a ser uma surpresa. “Ano após ano percebe-se elevadas temperaturas em nossa região, a ponto da população já se encontrar habituada com o desconforto térmico”, lembra.

Diego Tarley é autor de um estudo que mapeou os episódios de temperatura extrema em Goiás ao longo dos anos, assim como suas causas. O dia mais quente da história da capital, conforme o levantamento, foi o 15 de setembro de 2015, quando os termômetros registraram 40⁰C. A pesquisa demonstra, ainda, que desde 2014, todos os anos tiveram registros de temperaturas acima de 39⁰C – fenômeno que só havia ocorrido uma vez desde 1961, no dia cinco de novembro de 2007.

O pesquisador demonstra que houve coincidência entre a ocorrência de anomalias climáticas os fenômenos El Niño (como nas altas temperaturas de 2014 e 2015) e La Niña (como em 2007 e 2016), tanto em relação às altas ou às baixas temperaturas. Tais elevações ocorrem mais comumente em setembro (52% delas) e outubro (35%). Ainda assim, ele ressalta, em seu estudo, que “com relação à Região Centro-Oeste do Brasil não há consenso acerca dos efeitos dos fenômenos El Niño e La Niña para as temperaturas e precipitações”.

Pelo mundo

As altas temperaturas em Goiás e no Brasil repetem o que ocorreu em todo o planeta em 2019. De acordo com o serviço Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus, da União Europeia, a elevação da temperatura média, em relação ao período de referência (1981-2010), foi de 0,59°C. O ano mais quente, de acordo com a agência, foi 2016, com elevação de 0,63°C em relação à média.

O professor Diego Tarley analisa com cautela os dados. “Tais dados se referem a uma média global, que não considera a diversidade climática e os desvios de temperatura de todas as localidades do globo. Por exemplo, no centro-norte dos Estados Unidos, centro-sul do Canadá e no sul do Peru houve diminuição da temperatura no referido ano”, afirma.

Contudo, ele afirma que, “infelizmente”, há um predomínio de elevação da temperatura na maior parte do planeta. “O que comprova as suspeições do aquecimento global, ano após ano”, afirma.

Erosão na GO-070 antes das chuvas da última semana / Foto: Defesa Civil

Volume de chuva no início de 2020 surpreende

Se, por um lado, a elevação das temperaturas não causa nenhuma surpresa, por outro o volume de chuva no início de 2020 foi bem acima do esperado. Em janeiro choveu 82 milímetros a mais que a média história para o mês em Goiânia (329,8 milímetros, diante da média de 247,8 milímetros). “O elevado volume de precipitação surpreendeu e trouxe repercussões negativas para a população, como enchentes dos rios, inundações e alagamentos em áreas urbanas etc”, diz.

Além de Goiânia, onde ocorreram casos de enchente, o professor analisou também Catalão e Pirenópolis. No município do Sul Goiano, choveu 78,1 milímetros a mais que a média histórica (361 e 282,9, respectivamente). Em Pirenópolis, no Entorno do Distrito Federal, choveu 66,5 milímetros a mais que a média histórica, que é de 285,9 milímetros.

O resultado é que o número e a gravidade das ocorrências relacionadas à chuva também aumenta. Em Catalão, três represam se romperam, duas tiveram de ser monitoras e casas foram alagadas no dia 29 de janeiro. Apenas nesse dia, a chuva registrou 134,6 milímetros – quase metade do que choveu no mês inteiro. Na época, o secretário de obras do município, Leonardo Martins, afirmou que o volume ultrapassou o registrado em 1972, quando a precipitação foi de 130 milímetros.

Conforme Diego Tarley, “houve anomalias consideráveis de precipitação nas porções Central, Centro-Sul, Leste e Sudeste de Goiás, com registros que demonstraram até 300 milímetros acima da média”. Fevereiro deve repetir a tendência. “A precipitação acumulada nos últimos 15 dias retrata algumas localidades em que já choveu o que é esperado para todo o mês, conforme visto em Goiás, Minas Gerais e Pará”.

Além do volume elevado, para o qual a infraestrutura da capital não está preparada, há uma concentração delas em poucos dias. “As chuvas fortes apenas dão a falsa ideia de que os níveis dos rios, lagos e reservatórios se elevam. Na realidade, as chuvas fortes criam problemas como inundações e, cessado o efeito do pico de vazão, o nível da água pouco se altera”, disse a coordenadora do Laboratório de Climatologia (Climageo) da UFG, Gislaine Cristina Luiz. (De Jornal Opção)


REDE PLAN • O seu canal de notícias.


Segunda-feira será de calor com temperatura de até 32ºC | RP

O céu desta segunda-feira (3/2) amanheceu com o Sol se destacando entre as poucas nuvens, anunciando um dia com temperatura elevada. Os termômetros podem marcar até 32º C, entre às 12h e 15h. Mas o planaltinense não pode se deixar enganar, pois a nebulosidade deve chegar pelo período da tarde, possibilitando chuvas em áreas isoladas, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A mínima ficou em 18º C e a umidade relativa do ar varia de 95% a 40%.
A mínima ficou em 18ºC e a umidade relativa do ar varia entre 95% e 40%. Segundo o meteorologista Heráclio Alves, devemos nos acostumar com temperaturas mais altas neste mês. “As chances de precipitações pode ser acompanhada de trovoadas, mas não será um fenômeno forte. Para fevereiro, a tendência é que continue o período mais chuvoso, como é comum da época. Podem ocorrer chuvas intensas, mas a probabilidade é que seja com menos frequência do que em janeiro”, destaca.
A média histórica de chuvas no mês de fevereiro é de 183 milímetros. No primeiro fim de semana de fevereiro (1º e 2), o Inmet registrou o fenômeno em apenas uma estação.


REDE PLAN O seu canal de notícias


Temperatura deve chegar aos 33°C nesta terça-feira | RP

O dia começou com a temperatura mais alta nesta terça-feira (14/1). O céu amanheceu com poucas nuvens e muito sol. A mínima registrada foi de 19ºC e a máxima esperada é de 33ºC. No perído da tarde a nebulosidade aumenta mas não há chances de chuvas. A umidade do ar deve variar entre 95% a 30%.

“Hoje e amanhã essa condição de muita nuvem e poucas chances de chuva continuam. Nesses dias a temperatura registrada será mais alta”, alerta Heráclio Alves, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). “O tempo começa a mudar a partir de quinta-feira (16/1), com previsão de pancadas de chuvas”, prevê o meteorologista.

Com a temperatura mais alta em comparação às registradas no início do ano, é necessário ter alguns cuidados durante o dia. O especialistas alerta para a necessidade de reforçar a hidratação e evitar atividades físicas ao ar livre nos períodos mais quentes, como o meio da manhã e da tarde.


REDE PLAN O seu canal de notícias


Segunda-feira marca 32° e o calorão deve permanecer durante a semana | RP

A manhã desta segunda-feira (13/1) começou com céu aberto. A temperatura mínima registrada de 19ºC e a máxima prevista foi de 32ºC. Já a umidade relativa do ar varia de 95% a 35%.

Pra amanhã, a previsão é de mais calor, com máxima prevista em 31°, e mínima de 20°. A umidade do ar varia de 90% a 46%.

Os planaltinenses também podem esperar mais chuvas para esta semana. As ocorrências, contudo, serão isoladas, segundo a previsão do Inmet. A tendência é que as precipitações fiquem mais intensas a partir de quinta-feira (16/1).

Cuidado

A recomendação é que a população busque abrigos seguros durante as tempestades e evite pontos alagados. Em caso de risco, os canais 199, da Defesa Civil, e 193, do Corpo de Bombeiros, estão disponíveis.

REDE PLAN O seu canal de notícias

Pancadas de chuvas e temporais seguem até a próxima sexta-feira (6), em Goiás | RP

De acordo com o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo), a previsão é de que as pancadas de chuvas e temporais em Goiás devem seguir até a próxima sexta-feira (6). O órgão também alertou sobre a possibilidade de ventos, raios e alagamentos.

O gerente do Cimehgo, André Amorim, ressalta que a população deve reforçar a atenção em dias chuvosos. “Seria um alerta amarelo, pois é necessária uma atenção redobrada das pessoas durante os temporais”. Ele aconselha ainda que as pessoas devem evitar se abrigar debaixo de árvores e usar aparelhos celulares.

Até a tarde desta terça-feira (3), a cidade de Itumbiara, no Sul do Estado, registrou o maior volume de chuva, com 36,2 milímetros (mm). Em seguida está Goianésia, com 33 mm e Cidade de Goiás, com 25 mm.

Em situações de emergência, a orientação do Cimehgo é entrar em contato com a com a Defesa Civil e com o Corpo de Bombeiros pelos números 199 e 193, respectivamente.


De Jornal O Hoje.


REDE PLAN aconteceu, virou notícia.


(61) 99181-3142 WhatsApp

Chuva deve continuar durante a semana e pode chover forte nesta terça (5) | RP

As chances de chover forte nesta terça-feira (5/11) são grandes, afirmou o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Ontem, a Defesa Civil emitiu sinal de alerta devido as precipitações intensas.
Por meio de SMS, a subsecretaria orienta para que as pessoas busquem abrigo em local seguro e evitassem trafegar em áreas alagadas. Ao que tudo indica, hoje pode acontecer o mesmo. As chuvas vêm acompanhadas de trovoadas e ventos fortes em áreas isoladas.
A previsão para esta terça-feira (5/11) é de céu nublado. A temperatura mínima foi registrada na região de Águas Emendadas, em Planaltina, nas primeiras horas da manhã, 17ºC. A máxima pode chegar a 33ºC no período da tarde. A umidade relativa do ar varia entre 95% e 35%.
A meteorologista Nayane Araújo explicou que nessa época do ano é comum o clima oscilar entre calor e umidade alta, o que deixa o tempo instável. “As chances de temporal são altas. Ontem ocorreu de forma abrangente, mesmo que em áreas isoladas. Para hoje, não se descarta chuvas de granizo”, disse.
Sobre estados de alerta, Nayane afirmou que durante a manhã ainda não há previsão, no entanto, no período da tarde outro aviso pode ser emitido.


REDE PLAN aconteceu, virou notícia.


Via: Correio Braziliense

TEMPO: Chuva deve voltar a cair nesta quinta-feira (24) | RP

Esta quinta-feira (24/10) será um daqueles dias em que não se pode deixar o guarda-chuva parado em casa. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de que chova a qualquer momento do dia. No fim da tarde e durante a noite, no entanto, as pancadas devem ficar mais intensas, com a possibilidade de trovoadas.
A chegada da chuva diminuiu um pouco a tempoeratura nos termômetros, mas o dia deve continuar quente. No início da manhã, a temperatura chegou a marcar 17ºC e durante a tarde, a máxima pode chegar aos 29ºC.

Já a umidade deve variar entre 90% e 56%. “Esta combinação de temperaturas elevadas e alta umidade é o que provoca chuvas mais intensas, principalmente no período da tarde e da noite”, explica o meteorologista Heráclio Alves, do Inmet.

O alerta de chuva intensa, divulgado pelo Instituto e pela Defesa Civil no início da semana, continua para esta quinta-feira (24/10). Com a possibilidade de tempestades, as recomendações são: que não se busque abrigo à chuva embaixo de árvores e se evite estar em áreas abertas.

“As árvores não funcionam como pára-raios em grandes cidades, mas é bom evitar. E também não se deve permanecer em locais abertos, como campos de futebol. Principalmente durante os temporais”, recomenda Heráclio.

As chuvas devem seguir até a próxima semana, com a diminuição da intensidade a partir de sexta-feira (26/10). No fim de semana as quedas de água serão mais fracas e pontuais. O alerta de chuva intensa deve continuar até sexta-feira (25/10).


REDE PLAN aconteceu, virou notícia.


Com informações de Correio Braziliense

Chuva e ventos de até 80 km/h: veja previsão do tempo para esta semana | RP

Após três semanas de estiagem, a chuva deve voltar a cair a partir desta segunda-feira (21). A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de “tempo severo” e ventos fortes, pelo menos, até sexta-feira (25).

Segundo o meteorologista Olívio Bahia, as condições atmosféricas que se formam são “propícias a causar transtornos”. O motivo, explica, é o canal de umidade que saiu da Amazônia em direção à região Centro-Oeste.

Com os indícios de transtornos, o Inmet emitiu um alerta de tempestade (veja detalhes abaixo). O aviso vale a partir das 9h desta segunda (21), se estende até as 12h de terça (22) e é valido para regiões do DF, além de municípios do Mato Grosso do Sul e Goiás.

“A perspectiva é que a chuva alivie o calor, mas, por outro lado, o tempo severo preocupa porque pode causar alagamentos”, diz o meteorologista.

Já em relação à umidade, a previsão é que os índices variem de 45% a 95% nesta segunda (21). Apesar da chuva, a temperatura deve chegar a 32º C durante a semana. O motivo da alta nos termômetros, é a cobertura de nuvens que, segundo Bahia, “não deixa o tempo esfriar tanto”.


REDE PLAN aconteceu, virou notícia.


Com informações de: Correio Braziliense

Terça-feira será de pancadas de chuva isoladas e trovoadas | RP

As pancadas de chuva que cairam na tarde de segunda-feira (7/10) devem continuar nesta terça-feira (8/10), segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A previsão é de um dia com céu nublado a parcialmente nublado, com pancadas de chuva isoladas e trovoadas.

A meteorologista Nayane Araújo explica que as precipitações devem continuar, pelo menos, até quarta (9/10). “É uma das características deste período ter essas chuvas pontuais e um pouco mais forte. Até amanhã a gente ainda deve ter pancadas de chuvas em algumas regiões, mas a partir de quinta-feira (10/10), elas começam a diminuir”, destaca.

Apesar da chuva, o tempo continua quente, trazendo uma sensação de tempo abafado. A previsão para esta terça-feira é de temperatura máxima de 33°C. A mínima, de 18°C foi registrada durante a manhã. As chuvas também ajudaram a subir as taxas de umidade e aliviar a seca. A expectativa é que a umidade varie entre 90% e 35%.

Alerta de chuvas intensas

O Inmet emitiu na segunda-feira um alerta para chuvas intensas. O aviso é válido até as 23h59 desta terça-feira. O instituto alerta para chuvas de até 50 mm/dia e ventos intensos de 40 a 60 km/h.


REDE PLAN aconteceu, virou notícia.


Com informações de: Correio Braziliense