Arquivo da categoria: JORNAIS

Trickster: foragido da Justiça, Ronaldo Oliveira continua atuando em licitações | RP

Envolvidos em fraudes no DF também participaram de licitação da prefeitura de Planaltina! Polícia Civil de Planaltina Goiás também investiga se houve irregularidades ocorridas na cidade na licitação do transporte escolar.


A Polícia Civil do Distrito Federal, por meio da operação Trickster, pediu a prisão preventiva do casal de empresários, Ronaldo Oliveira e Soraya Gomes Cunha na manhã da última segunda-feira (6/5).
A organização criminosa (Ocrim) é acusada de desviar mais de R$ 1 bilhão do sistema de bilhetagem eletrônica do DFTrans, além de comandar um esquema de cooperativas e empresas que firmam contratos com o Governo do Distrito Federal (GDF) durante o mandato de Rodrigo Rollemberg.
Mesmo com as investigações da PCDF em pleno curso, Ronaldo permaneceu atuando no ramo de transporte escolar, foragido da justiça, ele foi flagrado participando de licitação para transporte escolar em Planaltina Goiás no dia 21 de fevereiro de 2019. A prisão preventiva do casal foragido foi concedida pela Justiça após confirmação de pagamento de propina para Harumy Tomonori.
Parte da documentação entregue durante licitação em Planaltina.
Harumy confessou que recebia propina mensalmente para fazer vista-grossa diante das fraudes no DFTrans. O modus-operandi da Orcrim se dava através de fraude com cartões estudantis de alunos do entorno como se fossem da rede pública de ensino do DF.
Assim que a fraude foi confirmada, os processos licitatórios das empresas do casal foram anulados pelo Tribunal de Contas do DF, que instaurou processo administrativo para averiguar empresas que fazem parte da organização criminosa, como Cooperbras, Rodoeste Transporte e Turismo.

Texto e imagem: Jornal de Brasília (JBr.)

REDEPLAN aconteceu, virou notícia.


Anúncios

Polícia Federal cumpre mandados na sede do PROS em Planaltina Goiás | RP

A Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, deflagrou na manhã desta quinta-feira (18/10) a Operação Partialis. As investigações apontam apropriação e desvio de recurso públicos federais destinados à aquisição de gases medicinais em Brasília, Marabá e Altamira, ambas no Pará. Entre os alvos de mandados de prisão estão o presidente nacional do Pros, Eurípides Júnior (temporária), e o ex-prefeito de Marabá, João Salame Neto (preventiva), da mesma legenda. As irregularidades causaram prejuízo de R$ 2 milhões aos cofres públicos.

O portal Metrópoles apurou que no Distrito Federal, equipes da Polícia Federal estiveram em casas nos lagos Sul e Norte. Também foram a Planaltina Goiás, Entorno do DF, em endereços ligados a Eurípedes Júnior. João Salame foi preso por volta das 6h, em uma casa no Lago Norte. A corporação ainda não confirmou se o mandado contra o presidente do Pros foi cumprido.

A investigação é desdobramento da Operação Asfixia, deflagrada em junho de 2016, para apurar fraudes em licitações para aquisição de gases medicinais promovidas pela Prefeitura de Marabá. Após a análise de documentos apreendidos, além dos demais elementos de informações colhidos á época, descobriu-se um verdadeiro esquema de ilícitos, como cobrança de valores por parte de servidores municipais em troca da facilidade no recebimento de valores atrasados. Chamou a atenção, em especial, uma anotação que indicava o depósito de R$ 100 mil para uma dita “parceria”.

Ao todo estão sendo cumpridos, nas residências dos investigados e na sede de uma empresa, 17 mandados judiciais expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal de Marabá, sendo quatro mandados de prisão preventiva, quatro de temporária e nove de busca e apreensão.

Ao todo, segundo a Polícia Federal, em verbas federais, municipais e estaduais, os assessores diretos de João Salame, sob comando dele, sacaram em espécie, na boca do caixa das empresas que tinham contratos com a Prefeitura de Marabá mais de R$ 1,5 milhão.

Avião

Além desses, mais R$ 1 milhão teriam sido depositados na conta da esposa de um assessor imediato do ex-gestor municipal, sendo que parte desses valores foram transferidos, por meio de terceiros, diretamente para as contas do ex-prefeito. Além da apropriação desses montantes, também foi adquirido, com recursos públicos federais, por um dos empresários investigados e presos durante a Operação Asfixia, uma aeronave adquirida de uma empresa com sede em Altamira (PA).

Segundo as investigações, a aeronave foi enviada para Goiânia (GO), onde ficou sob responsabilidade da direção nacional do Pros. Tanto os empresários da empresa de Altamira como a direção nacional da legenda, de acordo com a PF, praticaram uma série de ilicitudes, a fim de justificar a versão dos fatos apresentadas perante a Justiça.

A Receita Federal em suas análises de sigilo fiscal verificou uma série de irregularidades como movimentações bancárias em valores superiores aqueles declarados, em alguns casos até cinco vezes maior, indiciando a prática de ilícitos fiscais e evolução patrimonial vertiginosa e incompatível com a renda declarada. De acordo com levantamentos preliminares os valores desviados dos cofres públicos podem chegar seguramente a mais de R$ 2 milhões.

Os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, uso de documento falso e apropriação e/ou desvio de recursos públicos. Ao todo as penas pelos crimes investigados podem alcançar mais de 30 anos de reclusão. Os presos, serão encaminhados para presídios das cidades de Marabá , Altamira e Brasília , onde ficarão à disposição da Justiça Federal.

Fonte: Metrópoles

REDEPLAN aconteceu, virou notícia.


Reportagem da Rede Plan vai até a GO-430 mostrar a falta de redutores de velocidade e acostamento | RP

A nossa equipe foi até a GO-430, que liga Planaltina Goias à Formosa, estrada que foi recapeada, e com isso, os motoristas aceleram cada vez mais no asfalto sem buracos. Além da falta de redutores de velocidade e do acostamento, o mato alto na curva deixa o trecho ainda mais perigoso.

Confira a reportagem AQUI

Parceiro: Brasilinha em Ação


REDE PLAN aconteceu, virou notícia.