Mãe de crianças espancadas em Planaltina-GO cumprirá prisão domiciliar | RP

A Justiça determinou a soltura da mãe das crianças espancadas em Planaltina Goiás. Ela estava presa preventivamente por tráfico de drogas desde fevereiro. A decisão desta sexta-feira (31/5) partiu da juíza de direito Lea Martins Sales Ciarlini, com base no pedido de conversão da prisão preventiva em domiciliar apresentado pela Defensoria Pública e pelo Ministério Público na audiência de custódia.

Na ocasião, a defesa alegou que a mãe tinha cinco filhos — um sob responsabilidade do conselho tutelar — e que estava amamentando. No entanto, devido ao fato de ela e o pai das crianças estarem em situação de rua e não terem endereço fixo, o pedido foi negado.

O caso da família ganhou repercussão depois que a Polícia Civil de Goiás (PCGO) prendeu em flagrante Bruno Diocleciano da Silva, 19 anos, e apreendeu a namorada dele, uma adolescente de 17. Desde a prisão dos pais, eles estavam com os quatro meninos no município goiano a cerca de 60 km de Brasília.

Em 8 de fevereiro, os pais da criança foram presos próximo ao estádio de Sobradinho. Com eles, a polícia civil encontrou porções de maconha e de crack. No dia seguinte, na audiência de custódia, a acusada informou que estava na rua havia dois dias na rua. Diante dessa informação, a juíza de direito substituta Lorena Alves Ocampos, da 2ª Vara de Entorpecentes do Distrito Federal, negou o pedido e os dois foram presos preventivamente.

Em março, a cunhada da acusada esteve no cartório e atualizou o endereço da mãe das crianças para Sobradinho, no loteamento Nova Petrópolis. Com a decisão desta sexta-feira (31/5), a mãe dos meninos, que estava presa na Penitenciária Feminina do Distrito Federal, deverá cumprir uma série de medidas. Ela fica proibida de frequentar praças e locais onde possa correr o risco de se envolver em infrações; de manter contato com dependentes químicos; de se ausentar do domicílio sem autorização prévia; e deverá se apresentar à Justiça sempre que intimada.

Entenda o caso

Depois que os pais das crianças espancadas foram presos, as três meninas de 1, 3 e 7 anos e o menino de 9 passaram a morar com a tia adolescente e o namorado em um barraco no Setor Aeroporto, na periferia de Planaltina de Goiás. Durante os quatro meses em que conviveram, o casal de namorados agredia constantemente os pequenos.

Na quarta-feira (29/5), a menina de 3 anos, com fome e trancada em casa, pediu comida a um vizinho, ação que irritou a tia. Diante dos gritos das crianças, o morador de um lote ao lado denunciou o caso à polícia. No entanto, quando as autoridades chegaram ao local, uma das crianças estava morta.

Na tarde de sexta-feira (31/5), moradores da cidade incendiaram o terreno onde a família morava. Enquanto isso, a Vara da Infância e Juventude de Goiás decidia pela internação da tia adolescente, que será transferida para uma unidade de acolhimento em Goiânia.

Fonte: Correio Braziliense

REDE PLAN aconteceu, virou notícia.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s